quinta-feira, 19 de abril de 2007

Putz: Violência nos Jogos

Fala galera! Estou estreiando mais uma sessão deste Blog! Essa vai se chamar "Putz", e nela vao ser retratados fatos polêmicos, juntamente com minha análise minuciosa dos fatos, afinal Senso Crítico é pra quem pode, não pra quem quer!

O primeiro assunto a ser abordado vai ser violência em jogos. Uma coisa que sempre adorei discutir, afinal de contas, sou um assíduo jogador. Muito bem, vamos lá!

Para começar, decidi abordar esse assunto depois de uma matéria que lí no site da revista Geek.
Na verdade, a primeira matéria sensata sobre esta polêmica. Em suma, a matéria fala sobre um novo estudo sobre a violência em jogos que diz que, ao contrário do que maioria dos grandes estudos sobre esse tópico sempre disseram (jogar te transforma em um maníaco psico-sociopata com tendências violentas), jogar não apresenta nenhum perigo à sua mente! Não obstante, diz que "a interação mantém o jogador ciente de que se trata de um jogo".

"Estamos particularmente fascinados por ver que esta pesquisa sugere que, longe de ter um impacto potencialmente negativo na reação do jogador, o fato de que ele interaja com o jogo parece mantê-lo mais firmemente fixado na realidade", comentou David Cooke, diretor da BBFC, segundo a matéria acima citada.

Este autor gostaria de lembrar (e frisar,
e reforçar...) o quanto que os jogos eletronicos são taxados de "máquinas expressas de criação de malucos violentos" pela sociedade atual, pricipalmente pelos meios de mídia "informativa" que usa matérias tapa-buraco (leia-se Fantástico e afins) mostrando estudos de qualquer fulando de tal que afirma esse tipo de mito sem fundamento, usando como exemplos esse ou aquele caso de assassinato gratuito com óbvios traços de presença de sérias doenças mentais em seus executores, atos os quais não pode em nada ser atribuídos à jogos eletrônicos.

Quantas pessoas você, meu caro leitor, conhece que joga algum tipo de jogo eletrônico? Destes, quantos já mataram, ou matariam, ou têm planos de matar uma pessoa(ou várias?). Imagine se tivesse sido encontrado um videogame no quarto daquele coreano retardado do massacre dessa semana nos EUA? A quem culpariam?

O fato é que, são estudos como esse da BBFC que colocam os mitos em seu lugar e reforçam o que o sagrado Bom Senso sempre diz: "A pior arma que existe é o ser humano".

Bom, é isso. Como é de praxe, por favor não deixem de comentar. Valeu e até.

2 comentários:

Lulua disse...

Massa d+ seu blog Charles !!! Gostei dos textos !!!

Pedro Renan disse...

Esse post deixou meu ego muito contente. O que eu sempre acreditei esta provado. E acrescento, os jogos ajudam a diagnosticar doentes mentais...